Desgaste dentário

A causa do desgaste dentário pode incluir  abfração, abrasão e/ou erosão que provocam exposição dentinária, promovendo hipersensibilidade na região do colo do dente.

Este desgaste normalmente é um fenómeno complexo, resultando quase sempre de uma acção conjunta destas causas.

A abfração, significa a  perda patológica dos tecidos duros dentários decorrentes de forças oclusais traumáticas que provocam flexões nos dentes, levando à fractura dos cristais de esmalte na zona do colo do dente e  ao desgaste. 

A abfração é resultante de forças anormais entre os maxilares, de apertamento dos dentes e de bruxismo (ranger os dentes). 

A abrasão tem como fator causal a fricção aplicada à região com força exagerada como por exemplo escovagem traumática ou escovas excessivamente duras.

A erosão é a perda de estrutura do dente por ação de substâncias ácidas de origem não bacteriana. Normalmente estes ácidos provêm da dieta.

Várias frutas, vinagres, refrigerantes, bebidas energéticas e vinho podem ser altamente ácidos e, assim, são potencialmente prejudiciais aos dentes. Embora façam parte da dieta deve-se tomar cuidado quanto à frequência e à maneira como são consumidos. Manter ou reter alimentos e bebidas ácidas na boca prolonga a exposição dos dentes ao ácido, aumentando assim o risco de erosão. O hábito de beber uma bebida ácida "bochechando", por exemplo, pode aumentar seu contato com os dentes, aumentando, o risco de erosão.

Embora a principal causa de erosão dentária seja uma dieta ácida  este problema também pode resultar da presença de ácidos gástricos na boca, por exemplo, como consequência de bulimia (vômitos) ou indigestão (regurgitação / refluxo gástrico).Também existem casos - como resultado da exposição ocupacional ou industrial - nos quais a erosão dentária pode ser causada, por exemplo, pela inalação prolongada de vapores ácidos.