Cárie dentária

A cárie dentária é uma doença que leva à destruição das estruturas duras do dente. Inicia-se pelo esmalte (a camada mais superficial do dente) e, se não for tratada, pode prosseguir para a dentina e posteriormente para a polpa dentária (nervo do dente) e levar à perda do dente.

A placa bacteriana, um biofilme de bactérias altamente aderente ao dente, forma-se constantemente nos nossos dentes. Quando em presença de açúcares as bactérias da placa produzem ácidos que vão atacar o esmalte dentário. Estes ataques repetidos vão começar a provocar uma cavidade.

Os dentes posteriores, que têm muitas fissuras onde os pelos da escova  não chegam, proporcionam um ambiente muito favorável ao desenvolvimento de cáries  e são normalmente os dentes mais afectados. O espaço entre os dentes, pela ausência ou ineficácia de hábitos de limpeza  interproximal, constituem superfícies de risco para o desenvolvimento de cárie. Também a superfície da raiz do dente, quando exposta pela retração gengival pode ser afectada por cárie dentária.

A cárie dentária afecta pessoas de todas as idades.

Nas crianças pode ter um inicio muito precoce e afectar os dentes de leite logo após a erupção. Os dentes mais afectados são os dentes incisivos superiores (dentes da frente) mas pode também afectar outros dentes.

Nos adolescentes a cárie dentária volta a ter uma maior incidência por negligência de hábitos corretos de higiene oral e aumento do consume de alimentos cariogénicos que facilmente podem ser utilizados pelas bactérias.

Nos adultos e idosos a retração da gengiva combinada com uma maior incidência de problemas periodontais pode expor a raiz do dente à placa bacteriana, e consequentemente, à cárie dentária.

As margens das restaurações, que podem desgastar, fracturar ou causar infiltrações ao longo dos anos,  constituem locais de penetração bacteriana levando também à cárie dentária. Neste caso são chamadas de cáries secundárias ou recidivas.